Ouça nossa webradio

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Conferência de Santa Catarina defende um novo marco regulatório para a comunicação


A elaboração de um novo marco legal para a comunicação e a criação de uma defensoria pública para as mídias comunitárias e digitais foram as principais propostas apresentadas na etapa catarinense da Conferência Nacional de Comunicação. Cássio Giovani Turra, representante da ABRAÇO na Comissão Organizadora Estadual afirmou: “Podemos ter avanços efetivos em relação às rádios comunitárias e em algumas questões pontuais como a necessidade de observação de parâmetros mínimos de produção de conteúdo dentro dos meios de distribuição”, afirmou.

A abertura da Conferência, na Assembléia Legislativa, contou com uma homenagem ao jornalista e professor Daniel Hertz, autor do livro “A história Secreta da Rede Globo”, e um defensor da democratização da comunicação no Brasil. Daniel faleceu em 2006. A representante da CUT na Comissão Organizadora Nacional, Rosane Bertotti, destacou a importância da Conferência Nacional de Comunicação CONFECOM:. “Este é um momento que temos desde pensadores e acadêmicos até operários debatendo comunicação. Nessa oportunidade você tem o patrão e o empregado, o setor público e o contribuinte elaborando propostas de políticas públicas. É assim que se faz democracia”, afirmou. A conferência realizada entre os dias 14 e 15, contou com 251 inscritos e elegeu 45 delegados: 20 da sociedade civil, 20 do segmento empresarial e cinco do poder público. Mais de 450 propostas foram encaminhadas para a I CONFECOM, que acontecerá em Brasília, entre os dias 14 e 17 de dezembro.