Ouça nossa webradio

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

AS RÁDIOS COMUNITÁRIAS NA CONFERENCIA NACIONAL DE COMUNICAÇÃO



Nos dias 9,10 e 11 de outubro, em Brasília, a ABRAÇO Nacional realizará o Seminário de Formação da Rede Abraço de Rádios Comunitárias e a Conferência Livre, para organizar as rádios comunitárias para a I Conferência Nacional de Comunicação - CONFECOM.

O Seminário tem por objetivo preparar os comunicadores populares, das rádios comunitárias, para participarem da Rede Abraço de Rádios Comunitárias. A Rede é um espaço de compartilhamento de programas entre as emissoras comunitárias. O Seminário abordará temas como: cultura livre, edição de áudio com software livre, transmissões pela web e automação de rádios comunitárias com software livre.

Já confirmaram presença no do Seminário o jornalista Beto Almeida, conselheiro da Tele Sur, o Coordenador do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação, Celso Shröder, Everton Rodrigues, do Movimento Música para Baixar, Sionei Leão, da Comissão de Jornalistas Negros pela Igualdade Racial, Marcos Manhães, do Sindicato dos trabalhadores em Ciência e tecnologia do Estado de São Paulo, Sheila Tinoco, da Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário federal e Ministério Público da União, João Moreirão, vice-presidente da Associação Brasileira de Música Independente, Octávio Pierante, da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura e Jacira da Silva, do Movimento Negro Unificado Nacional. Alem de representantes da Central Única dos Trabalhadores e do Coletivo Intervozes.

A Conferência Livre de Comunicação será no dia 11 de outubro, quando serão discutidas propostas das rádios comunitárias para serem levadas a CONFECOM. Entre os temas em debate está a digitalização do rádio, o financiamento público para as rádios comunitárias, produção e distribuição de conteúdos e a regulamentação do setor.

O Seminário de rede Abraço e a Conferência Livre das Rádios Comunitárias é uma iniciativa do Ponto de Mídia Livre Rede Abraço, prêmio da Secretaria de Cidadania Cultural do Ministério da Cultura.

Ministério das Comunicações adverte Rádio Comunitária de Pocinhos

DESPACHO Nº. 377

Data: D.O.U.: Nº. Processo:
18/05/2009 30/09/2009 5300004657106
Denominação/Razão Social:
ASSOCIACAO DE RADIO COMUNITARIA DE POCINHOS
Localidade: Serviço: Finalidade:
POCINHOS - PB RADCOM COMUNITÁRIA
Observação:
A DIRETORA DO DEPARTAMENTO DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO DE SERVIÇOS DE COMUNICAÇÃO ELETRÔNICA DO MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES, RESOLVE: ADVERTIR À EMISSORA POR CONTRARIAR O DISPOSTO NO ARTIGO 40, INCISO II DO SERVIÇO DE RADIODIFUSÃO COMUNITÁRIA, COM BASE NO § 1º DO ARTIGO 59 DO CBT.

LULA, O QUERIDINHO DOS TUBARÕES


Lula é homenageado pela Associação Internacional de Radiodifusão

O presidente Lula recebeu uma homenagem da Associação Internacional de Radiodifusão pelo trabalho em defesa da liberdade de expressão. A associação representa 17 mil emissoras de rádio e TV na Europa e nas três Américas. Lula recebeu uma placa, como exemplo para América Latina.

“O maior expoente de menosprezo à liberdade de expressão é o governo venezuelano com o presidente Hugo Chávez. E, infelizmente, esse padrão tem se alastrado por outros países. Como Peru, Nicarágua, Honduras e agora também uma lei que visa restringir o trabalho da imprensa na Argentina. Então, a Associação Internacional de Radiodifusão entregou essa placa ao presidente Lula porque o considera um exemplo para todos esses governantes. Um político, um democrata que mantém esse espírito de conviver com uma imprensa independente, com o contraditório, e não manifestou em nenhum momento nenhuma iniciativa crítica contra os veículos de rádio e televisão, especialmente”, discursou Daniel Pimentel Slavieiro, presidente da Abert, Associação Brasileira de Rádio e Televisão.

ANATEL FECHA RÁDIO COMUNITÁRIA NO PIAUÍ

A Rádio Comunitária Sertão FM (Picos-PI) foi lacrada por fiscais da Agencia Nacional de Telecomunicações (ANATEL) na última segunda-feira (28/09). Os fiscais levaram da emissora todos os aparelhos: transmissor, computador e mesa de som.

A Sertão FM estava no ar há 10 anos e era uma das pioneiras na comunicação comunitária na região de Vale do Guaribas. A população da cidade está revoltada com a ação da Anatel.

O rádio continua sendo o principal meio de comunicação da região semi-árida, levando informações e entretenimento para comunidades rurais mais distantes onde o acesso é precário e a forma mais rápida e eficaz continua sendo a rádio comunitária.

fonte: http://www.acessepiaui.com.br/picos/r-dio-comunit-ria-fechada-em-s-o-juli-o/885.html

UMA RÁDIO DIFERENTE




Essa rádio é diferente das rádios comerciais, porque:

a) Enquanto as rádios comerciais seguem a ética do mercado, nós respeitamos a vida e o ser humano;

b) Enquanto as comerciais promovem o lucro dos proprietários, nós promovemos a cultura, a arte, a educação e o desenvolvimento da comunidade;

c) Enquanto as rádios comerciais fazem jornalismo voltado para os interesses da elite e visam dividir o povo, nós fazemos a integração da comunidade,

d) Enquanto para eles a audiência é fundamental, para nós é secundário.

e) Enquanto abrimos os microfones para todas as correntes de opiniões, as rádios comerciais priorizam os políticos e pessoas que têm relação com o dono.

RÁDIO COMUNITÁRIA, DE GESTÃO PÚBLICA E DEMOCRÁTICA, UMA CONQUISTA DO POVO.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Rádio comunitária e participação popular



Jovens dirigem a Rádio Comunitária Voz Popular, da comunidade São Rafael

Rosângela Santos batalha na Rádio Comunitária Voz Popular, da comunidade São Rafael, em João Pessoa, assumindo ainda a coordenação de formação da Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária no Estado da Paraíba – Abraço. Recentemente, ela defendeu dissertação na Universidade Federal da Paraíba, no Programa de Pós-graduação em Educação, com o título de “Rádio Comunitária – um canal de expressão e participação popular”.

O trabalho resume a história dessas rádios de baixa potência e controle popular, sublinhando sua importância nas pequenas e humildes comunidades não contempladas pelas mídias convencionais. O estudo ainda faz levantamento bibliográfico sobre as rádios comunitárias, observando sua origem, trajetória, papel sócio-educativo e importância como espaço de atuação e participação popular. Um dos livros referenciais é o nosso “Democracia no Ar”, onde faço um histórico de algumas experiências com rádios comunitárias em Mari, Mogeiro, João Pessoa e Itabaiana.

Rosângela também aborda algumas práticas de rádios em várias regiões brasileiras, especialmente sua experiência pessoal com a Rádio Comunitária Voz Popular, atualmente calada pela Anatel. A Voz Popular funciona em um posto médico da comunidade. Nessa rádio, os jovens foram protagonistas de um projeto chamado “Fala Garotada”, em parceria com uma ONG local. O projeto contribuiu muito para o desenvolvimento humano e inclusão social de adolescentes e jovens da comunidade São Rafael.

Finalmente, o trabalho aponta a contribuição que as rádios comunitárias podem dar à questão ambiental. Resumindo, a dissertação de Rosângela apresenta uma discussão teórico-conceitual sobre a potencialidade das rádios comunitárias incentivarem processos educativos e de promoção da cidadania através do fazer-comunicação. Tudo isso é possível se essas mídias populares forem geridas de forma democrática.

Acesso ao trabalho da companheira Rosângela Santos:

www.ce.ufpb.br/ppge/index.php?option=com_content&task=view&id=224&Itemid=52

RÁDIO COMUNITÁRIA ZUMBI DOS PALMARES



Andrezza entrevista João Pacheco, Embaixador da União Européia, em visita à Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares, de João Pessoa (PB)

Qualquer entidade ou pessoa, que atue ou resida na área de atuação da Rádio Zumbi dos Palmares Comunitária (Ernesto Geisel e adjacências, em João Pessoa-PB) pode produzir ou apresentar programas. As propostas serão avaliadas com base nas disposições legais do serviço de radiodifusão comunitária e nos seguintes critérios gerais:

Contribuição cultural – Serão privilegiados os programas que contribuam para o aprimoramento cultural da comunidade. Fórmulas de sucesso das emissoras comerciais, modismos de qualquer natureza serão descartados da programação.

Profundidade – Os programas devem resultar da pesquisa sobre os temas abordados.

Abrangência – Terão preferência os programas que possam atingir a todos e não somente a um segmento.

Interesse público – Serão priorizados os programas que veiculem informações relacionadas com o cotidiano da comunidade, úteis para o dia-a-dia das pessoas.

Criatividade – Os programas da emissora devem se diferenciar das soluções utilizadas pelas rádios comerciais. Seja para driblar a eventual carência de recursos ou para estabelecer inovações na arte da radiodifusão, a criatividade será indispensável.

Maiores informações sobre os critérios de programação e o encaminhamento de propostas podem
ser encaminhados para:

fabiomozart@yahoo.com.br
radiozumbifm@gmail.com
palhanobeto@yahoo.com.br
vellozzo@yahoo.com.br