Ouça nossa webradio

terça-feira, 26 de julho de 2016

Rádio comunitária de Pilar (PB) recebe apoio da população


Edinaldo Trajano ou Trajano Júnior como é conhecido, natural de Lagoa Seca em Campina Grande, residente na cidade de Pilar ha dois anos, atualmente comanda a Rádio Comunitária Cidade FM de Pilar.

Sua paixão pelo rádio vem desde que era criança. Levado pelo pai aos estúdios da rádio Caturité FM, rádio mais antiga da rainha da Borborema, o comunicador se encantou com todo aquele universo radiofônico. Diz ele que foi amor à primeira vista. De lá para cá já são quinze anos que vem militando na radiodifusão comunitária. Trajano já passou por diversas rádios comunitárias, entre elas Rádio Cruz das Armas FM, onde comandava um programa. O comunicador ressalta que já teve uma emissora fechada pela Anatel na sua terra, Lagoa Seca.

A Rádio Cidade de Pilar está no ar há três meses em caráter experimental, sob licença provisória até que seja implantada uma associação de radiodifusão local, para que se possa iniciar o processo para aquisição de documentação necessária para se dar entrada no pedido de concessão da rádio. Trajano ainda lembra que depois de criada a associação, será preciso coletar cerca de duas mil assinaturas, bem como é necessário o apoio de todas as lideranças comunitárias da cidade para que se tenha êxito no processo.

O comunicador revela que a maior dificuldade em se fazer radio comunitária é a falta de apoio e a discriminação para com a mídia alternativa. Lembra que a cidade de Pilar, uma cidade histórica, a segunda mais antiga da Paraíba e ainda não tem uma concessão de rádio comunitária. Ainda lembra que entre todas as cidades que passou, Pilar foi à cidade que mais mostrou interesse pelo rádio. “A população me acolheu muito bem”, revela.

Atualmente na grade da Rádio Cidade FM vem sendo veiculado programas diversos entre religiosos, esportivos e musicais e complementado com merchandising e playlist. Segundo opinião de alguns ouvintes, a rádio tem sido bastante ouvida pelo povo, pois este vem se identificando com o que é veiculado na sua grade de programação, tornando-se uma atração à parte no cotidiano do pilarense.  Conforme afirma o comunicador, a rádio é para o povo de Pilar, para divulgar a cultura da cidade, a rádio é para utilidade pública.

"Penso em muito breve montar um programa onde o artista da terra possa ter seu espaço, onde ele possa divulgar sua arte, onde possa levar cultura resgatando a cidadania, valorizando e incentivando estes talentos que estão esquecidos sem ter uma chance para mostrar sua arte, sua música. A rádio comunitária é para levar informação, promover cidadania, dando oportunidade ao artista da terra, é pensar o lado social da população” finaliza.


 Redação do blog Evanio Teixeira

MULTIMISTURA discute terrorismo no Brasil



--- Mestre Dalmo e seus multimisturados conversam sobre terrorismo na Paraíba e outras lendas urbanas.

--- Rosemberg Silva foi lembrado. Faleceu por causa da Chicungunya. Antigo militante anarquista da Paraíba.

--- Quadro de Chicungunya é alarmante na Paraíba.

--- Comerciante hasteia bandeira do Estado Islâmico e agora está sendo vigiado 24 horas por dia pela polícia. O cara encontrou uma forma de ter segurança, já que havia sido assaltado 3 vezes durante a semana.

Empreste-nos seus ouvidos no RadioTube:



sábado, 23 de julho de 2016

“Rádio em movimento” está disponível e será retransmitido pela Zumbi




O programa Rádio em Movimento é um noticiário de aproximadamente 15 minutos, que aborda assuntos de interesses para as emissoras comunitárias do Brasil. A cada edição, matérias, entrevistas e relatos sobre política, serviços sociais, cultura e principalmente temas sobre a democratização dos meios de comunicação.

As Rádios Comunitárias podem baixar os programas diários e adapta-los na sua grade de programação. Todas as edições estão disponíveis no link:https://soundcloud.com/agenciaabracogo


sexta-feira, 22 de julho de 2016

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Rádio comunitária da Paraíba quer resgatar trem de passageiros em parceria com sindicato dos ferroviários

Empresas concessionárias abandonaram a ferrovia no Nordeste

A Rádio Comunitária Araçá de Mari (PB) está aderindo ao projeto “Trem para todos”, do Sindicato dos Ferroviários da Paraíba, que consiste na mobilização das populações das cidades por onde passa a malha ferroviária paraibana pelo restabelecimento do transporte ferroviário de passageiros, há muito tempo desativado. "Não é um sonho sem fundamento. Isso envolve uma série de parcerias além de uma política pública do governo, mas precisamos do apoio da população, por isso estamos buscando parcerias com entidades comunitárias para levar ao povo o projeto e levantar abaixo assinados”, disse Severino Urbano, Presidente do sindicato.

A emissora comunitária garante a veiculação da campanha de mobilização pública a partir do dia 23 de julho, quando serão entrevistados os diretores do sindicato da categoria dos ferroviários no lançamento do projeto. “O papel das rádios comunitárias é justamente estar ao lado dos projetos de interesse público e nossa luta é para que o progresso volte aos trilhos novamente em nossa região”, afirmou Severino Ramo, Presidente da Rádio Araçá. "O grande desafio é fazer com que esse projeto seja abraçado por toda a sociedade”, disse Urbano.

Inicialmente, o projeto visa restabelecer o trecho ferroviário entre João Pessoa e Guarabira, passando pelas cidades de Sapé e Mari. Embora o trecho esteja cedido à Ferrovia Transnordestina Logística, ele pertence à União e foi explorado historicamente pela Rede Ferroviária Federal S/A, atualmente extinta. O transporte de passageiros passou a ser explorado pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos que, aos poucos, foi delimitando e restringindo a operação apenas para a área metropolitana de João Pessoa. “Achamos isso um erro, pois precisamos melhorar a mobilidade urbana em nosso Estado e o trem é a resposta para o transporte de massa seguro e barato, servindo às cidades do interior”, acredita Severino Urbano.
O público atendido terá basicamente dois perfis. Um regional, para quem precisa simplesmente viajar entre essas cidades, e outro de natureza turística, voltado para os visitantes que teriam essa opção de deslocamento de grande atração turística para quem visita a região. Em outro momento, o Sindicato dos Ferroviários da Paraíba pretende focar o projeto no trecho João Pessoa/Campina Grande, passando pelas cidades de Pilar, Itabaiana, Mogeiro e Ingá. “Vamos buscar parcerias com entidades culturais e comunitárias dessas cidades para levantar esse abaixo assinado e levar ao Ministério das Cidades para que seja feito um levantamento de custos da revitalização dos trechos e expansão dos trens de passageiros”, finalizou Severino Urbano.




terça-feira, 19 de julho de 2016

MULTIMISTURA – 3º bloco – Resumo da pauta sem peita



--- Cine Banguê com filmes regionais alternativos de qualidade.

--- Sarau do poeta Thiago Alves no Espaço Cultural, dia 23 de julho, às 17 horas.

--- Mano de Odé faz feijoada para Ogum.

--- Renal Palmeiras critica vereadores de João Pessoa.

--- Dalmo Oliveira elege o pior e o melhor vereador da capital.

--- Wellington Costa, de Cabedelo, recebe carta de eleitor exigente.

--- Vereador Fuba recebe puxão de orelha por ter abandonado a Academia de Cordel do Vale do Paraíba.

--- Multimisturados comentam edital da Funjope para a cultura.

--- Mandando abraços para o bregueiro Mauro Dantas, o colega Cidó, o poeta Pedro Alves, o gravurista Josafá de Orós, o radialista Jota Alves, o comunista Jerry Oliveira, o chicanista Dedé Arnô, e os irmãos Severino Batista e Manuel Batista, de Mari.

Perca seu tempo ouvindo 25 minutos de conversa livre dos multimisturados:




MULTIMISTURA sai do volume morto depois de tomar a sopa e o caldo rejuvenescedor de Tia Neves


Neste bloco, Fábio Mozart confessa que é devoto da Santa do Cabaço de Vavá da Luz.

Dalmo Oliveira anuncia o “Ocupa Geisel” com Gláucia Lima, cordel, Pedro Osmar, grafitagem, palestras e otras cositas mas.

Multimisturados experimentam as garrafadas de tia Neves, inclusive chá de filosofia e “levanta moral de velho”. Consumir com moderação.