Ouça nossa webradio

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Na Paraíba, locutores de rádio comunitária recebiam do Estado sem trabalhar

Marcos Sales, da Rádio Comunitária Araçá de Mari/PB

A imprensa nacional deu destaque nos últimos dias sobre a situação do funcionalismo público na Paraíba. Mais da metade do orçamento é para pagamento dos servidores. E o pior, muitos desses funcionários nunca apareceram para trabalhar. Mais de 70 funcionários já estão mortos.

Agora, a cidade de Mari fica sabendo que dois comunicadores da Rádio Comunitária Araçá, conhecidos por Tiago e Marcos Sales, faziam parte desse contingente de servidores fantasmas. Quem fez a denúncia foi o vereador Edvaldo do Assentamento, em participação na própria emissora na sexta-feira (18). Para ele, os comunicadores faziam a linha política do ex-governador José Maranhão em troca de emprego na máquina estatal, dispensados de dar a contrapartida em trabalho.

O ex-locutor da Rádio Comunitária Araçá, Pedro Graciano, disse que o fato desmoraliza a rádio comunitária, que perde sua credibilidade perante o público ouvinte. “Em 2008, eu e mais alguns fomos expulsos dessa rádio, acusados de defender determinada facção política. De forma mesquinha e humilhante, fomos afastados porque não podíamos expressar nossos pensamentos e ideias, sofrendo censura da direção, que pregava constantemente o distanciamento com o vinculo politico partidário”, afirmou.

Após a denúncia do Vereador, o comunicador Thiago, demonstrando um pouco de nervosismo, defendeu-se dizendo que "disconcorda" (sic) da afirmação do Vereador, que ainda de acordo com Thiago, estaria "inquivocado" (sic). O comunicador disse que assumia função em escola do Estado, porém dava expediente todos os dias, das 6 às 11 da manhã.

O comunicador Marcos Sales também participou por telefone e disse que acionará o Vereador na justiça pelas acusações.

O Presidente da rádio, Severino Ramo, ainda não se pronunciou sobre o fato.

Da redação com

www.marifuxico.blogspot.co,