Ouça nossa webradio

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Abraço de Pernambuco discute prioridades para 2011

Wagner Souto (E) e Flávio Marques esperam fortalecer a entidade em Pernambuco


A delegação pernambucana foi uma das maiores do VII Congreso Nacional da Associação Brasileira de Rádios Comunitárias (Abraço), que foi realizado em Brasília, no final de janeiro. Na volta para casa, a nova coordenação estadual da entidade já começa a se organizar para fortalecer-se localmente e discutir as prioridades de atuação para o ano de 2011.

“Sabemos que vamos precisar investir em formação e articulação, até por isso a importância de que todos os novos integrantes da coordenação estadual são pessoas que vivem o dia a dia das rádios comunitárias”, avalia o coordenador executivo Flávio Marques, ele mesmo integrante da Rádio Amparo FM, de Olinda. Um detalhe: dos dez integrantes do novo grupo, três são mulheres, o que cumpre a cota mínima estabelecida pelo Congresso da Abraço. “Também criamos uma coordenadoria específica de gênero e etnia”, explica o comunicador.

Para Wagner Souto, que tornou-se suplente da diretoria nacional, uma das bandeiras importantes para o movimento é a interiorização da discussão. “Os companheiros que atuam no agreste e no sertão sentem-se um pouco marginalizados, isolados do debate político que queremos promover. Precisamos chegar mais perto, seja com seminários ou com encontros de formação”, afirma o militante.

Aliadas a lutas históricas da categoria, como a ampliação do número de canais, a anistia para comunicadores condenados por radiodifusão comunitária e a garantia de sustentabilidade política e financeira das rádios, todas essas propostas serão discutidas no primeiro encontro da nova coordenação, que acontecerá nesta quinta-feira, dia 17 de fevereiro. “Esse tipo de reunião de planejamento é muito importante. Vamos definir nossas prioridades e nossa agenda de lutas”, diz Wagner. Flávio, porém, já se adianta. “Não só localmente quanto nacionalmente, a pressão pela instauração dos conselhos de comunicação certamente estará em nossa pauta. Em Pernambuco, junto com o Fopecom, vamos estar na linha de frente para tornar essa proposta uma realidade”.

FONTE:http://www.ombudspe.org.br