Ouça nossa webradio

domingo, 13 de dezembro de 2009

Polícia fecha rádio em São Paulo que fazia apologia ao crime


A Polícia Civil fechou hoje a Rádio Dinamite FM, que funcionava na frequência 99,7, em São Paulo. A rádio pirata é acusada de fazer apologia ao crime e divulgar funks proibidos e bailes na região metropolitana. De acordo com o delegado Oswaldo Nico Gonçalves, do Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra), a polícia quer saber se a rádio tem alguma ligação com integrantes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC).

A polícia investigava a rádio havia uma semana. Com o apoio de técnicos da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), os policiais do Garra localizaram hoje a antena retransmissora da rádio no meio da Serra da Cantareira, em Mairiporã, na Grande São Paulo. O equipamento ficava no meio da mata. Ali não foi detido ninguém.

Um outro grupo de investigadores foi até uma casa na Vila Brasilândia, na zona norte de São Paulo, onde apreendeu os equipamentos que seriam usados no estúdio da rádio. O dono do imóvel em que esse material era guardado foi detido pelos policiais. Trata-se de um músico. Ele disse que recebia R$ 250 por semana para guardar o equipamento e negou qualquer relação com a rádio.

"Eles transmitiam os chamados funks proibidões e divulgavam bailes clandestinos. Faziam apologia do crime e de criminosos. O transmissor dessa rádio pirata era muito forte", afirmou o delegado Gonçalves. Desde 2005, a Polícia Civil tem conhecimento de músicas feitas em apologia ao PCC e ao crime em geral.

Fonte: Diário do Pará

COMENTÁRIO: Apologia ao crime, toda rádio direcionada às classes C e D faz. São os programas tipo “mundo cão”, onde o que mais se ouve é “bandido bom é bandido morto”. Aqui em João Pessoa, Paraíba, tem um locutor que grita todo dia as mais absurdas expressões de baixo calão e desrespeito às mulheres, aos homossexuais e negros. Ele costuma chamar Michael Jackson de “macaco punheteiro”. As mulheres para ele são todas putas safadas. Faz apologia da tortura e do assassinato de menores infratores.

Manoel Pedro

O irreverente e polêmico radialista Anacleto Reinaldo tem um programa jornalístico-policial chamado “Chumbo Grosso”, onde emite comentários carregados de críticas nem sempre “politicamente corretas”, mas é dono de expressiva audiência na grande João Pessoa. Acho que Anacleto, se tem audiência é porque o grosso da população gosta desse tipo de programa. Agora, reproduzir isso em rádio comunitária, como vejo muitas por aí botando programa desse tipo, é o fim! Tudo bem se as rádios comerciais procuram esse tipo de atração, mas em comunitária não é aceitável em nenhuma hipótese.

João Carmelo

Tem a rádio da polícia e a rádio dos bandidos. No fim, é tudo uma merda só... Esses locutores de rádio “mundo cão” deveriam falar diretamente da Rádio Patrulha.

Aderaldo Júnior