Ouça nossa webradio

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Rádio comunitária de Rondônia acusada de desvio de recursos públicos


Coletiva de imprensa do Ministério Público de Rondônia para anunciar  as ações contra entidades

A Rádio Comunitária Verde Amazônia, de Rondônia, foi citada pelo MP de Rondônia como envolvida no esquema de desvios de recursos públicos através de emendas parlamentares de oito deputados estaduais. “São entidades reconhecidas de Utilidade Pública com o único intuito de desviar dinheiro público”, disse o relatório, onde constam ainda a Associação Cultural Evolução, Sociedade Carnavalesca e Filantrópica Arco Iris e a OSCIP Paz e Filhos.

Três servidores da Assembleia Legislativa que estavam à disposição da pasta foram afastados, assim como o sub-chefe da Casa Civil, Paulo Werton Joaquim dos Santos, sobrinho de “Zezinho do Maria Fumaça” e por onde eram iniciados os procedimentos para convênios.

Três mandados de prisão foram expedidos, sendo cumpridos apenas dois: o empresário Zezinho Maria Fumaça, seu funcionário Charles Henrique. O promotor de eventos gospel Rodrigo Guerreiro já é considerado foragido da justiça, pois não foi preso e não se apresentou até ao meio dia.

O responsável pela Rádio Comunitária Verde Amazônia é José Giovane Basílio, que mantém ainda outorga de uma rádio educativa, essa sem atividade. A Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária em Rondônia, através do seu Coordenador Geral, Edmilson Costha, disse em nota oficial que a rádio envolvida nessa operação não faz parte da Abraço-RO. “Não compactuamos com qualquer irregularidade que essa emissora ou qualquer outra venham a cometer”, afirmou Edmilson.

Em declaração exclusiva para o blog da Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares, Edmilson Costha revelou que José Giovani Basílio atua no meio político através de entidades controladas por ele, a fim de se beneficiar com recursos públicos e cargos nos gabinetes dos políticos. “Ele tem ainda um Instituto que não apareceu ainda nas investigações, além disso tem em seu poder várias procurações de outras pequenas entidades de rádio comunitária com as quais negociava favores e cargos comissionados”, declarou. “É uma pessoa que nunca se envolveu com o movimento de rádios comunitárias sérias, sua rádio funciona como uma comercial”, finalizou Costha.