Ouça nossa webradio

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Ouvinte de rádio comunitária reclama de desrespeito


Caros parceiros:

Segue abaixo, matéria sobre mais uma palhaçada cometida por uma rádio comunitária da cidade de Mari-PB, que vive sob os interesses políticos de sua direção. Agora é assim: Quando o "dono" da rádio chega, o ouvinte tem que sair do ar pra dar espaço pra ele! Dá pra entender isso?

Pedimos a gentileza em publicar o texto abaixo e ficamos a disposição para o que for preciso.
Agradecemos pela força!


Abraços,

:::: Redação Mari Fuxico ::::
www.marifuxico.blogspot.com

No programa "liberdade de expressão" de hoje (30), mais um acontecimento negativo do rádio comunitário mariense ocorreu. O Coordenador de Comunicação da Prefeitura de Mari, senhor Manuel Batista, participava por telefone prestando informações ao público sobre questionamentos dos próprios apresentadores quando foi solicitado que saísse do ar e voltasse a ligar novamente após o "apoio cultural" e de forma compreensiva, assim o fez. O que o senhor Manuel Batista não esperava é que estaria sendo retirado do ar para abrir espaço para o Diretor-Presidente da emissora, Severino Ramo, que ligou sem trazer nenhuma informação urgente ou que tivesse mais importância do que a informação que estava sendo prestada pelo Coordenador de Comunicação.

Quem prestou atenção e ouviu bem o programa, ficou boquiaberto com o ocorrido, afinal, foi uma bela demonstração de "democracia às avessas". Onde fica o respeito ao ouvinte? Quer dizer que quando o "patrão" liga o ouvinte tem que sair do ar ou apenas tiraram o ouvinte do ar porque tratava-se do senhor Manuel Batista? Tudo bem que os apresentadores podem ter participação liberada na programação da emissora, mas, chegar ao ponto de interromper (sem justificativa alguma) um ouvinte que prestava informações públicas apenas para satisfazer o senhor Presidente da emissora, que poderia aguardar a conclusão da participação do ouvinte, além de ser falta de respeito, é uma forma de desprezar o ouvinte e um exemplo infeliz de anti-democracia.

O senhor Manuel Batista, como ouvinte e cidadão, sentindo-se preterido e ofendido, não gostou da atitude e retornou a ligação em tom de indignação e com toda a razão não poderia deixar barato a falta de respeito que sofreu e mesmo assim, o Presidente da emissora voltou a ligar para dar resposta em tom agressivo ao ouvinte. Pois é... nem parece que estamos em 2010! Lembra muito a foto acima!

O mais interessante é que cobraram desde o início do programa, as informações do Coordenador de Comunicação e quando o homem entra no ar para satisfazer o desejo de todos, é solicitado a encerrar a participação porque pelo jeito, havia participação mais importante do que a dele na espera. Dá pra entender tanta "democracia"?