Ouça nossa webradio

quarta-feira, 9 de maio de 2012

ANATEL fecha mais uma rádio comunitária em Alagoas


A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) age mais uma vez de forma criminosa e irresponsável. A vítima desta vez foi a Rádio Comunitária Paraíso FM, em Pão de Açúcar – AL, que teve seu transmissor apreendido sem ordem judicial. A ação truculenta fechou as portas de mais um instrumento legítimo da voz do povo. Antes de ser invadida pelos agentes, a emissora estava entrevistando o pré-candidato a prefeito, Antônio Carlos Rezende. O próximo entrevistado seria o secretário estadual de agricultura Jorge Dantas.

As várias ações ilegais feitas pela Anatel, de tão constantes, estão se tornando uma rotina contra às rádios comunitárias do Brasil. Este último ato em Alagoas fez com que um meio de comunicação nascido por iniciativa dos moradores, deixasse de fazer o que o governo tem por obrigação e não faz. De acordo com o presidente da associação, José Antônio Pinto dos Santos (foto), a Rádio Comunitária Paraíso FM, enviou todas as documentações exigidas para o departamento de outorga para rádios comunitárias do Ministério das Comunicações. Depois de longa espera, foi divulgado no Diário Oficial, a autorização da abertura do canal 200 para o município de Pão de Açúcar.

Apesar dos documentos legais enviados pela emissora, a Anatel ainda não permitiria que rádio funcionasse. Mas a comunidade, que não estava resistindo ao parasitismo político, começou a pressionar a associação para que pudessem praticar a liberdade expressão no veículo. Diante da necessidade de comunicação do povo, a associação resolveu enviar o caso para Brasília. “Resolvemos comunicar ao Ministério das Comunicações través de oficio nº 08/2011 que a rádio entraria no ar em fase experimental.Em todo esse tempo, a associação dos moradores a Torre do Paraíso não recebeu nem se quer um email como resposta, demonstrando dessa forma o total desinteresse com a sociedade Pão açucarense. Como presidente decidi ouvir a voz do povo, porque todo poder emana do povo, e os meios de comunicação não podem ser o único a quebrar este cartel”, diz José Antônio.

A notícia sobre o fechamento da Rádio Paraíso provocou grande comoção na comunidade. Para José Antônio, foi triste ver os colegas da emissora, indignados por não poder exercer com soberania o exercício pleno da democracia. “O alento era saber que todos tínhamos feito a nossa parte e resistido até esse dia, que está longe de ser o último. “Seremos pacientes para aguardar a reabertura de nossos microfones; seremos prudentes no trato com a informação, mas, intransigentes com aqueles que tentam nos amordaçar a todo custo. Hoje, Pão de Açúcar regrediu no tempo, e essa é a maior prova de que estamos sendo representados pelas forças do atraso”, finalizou o representante da emissora.

Bruno Caetano
Da Redação