Ouça nossa webradio

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Abraço-SE quer mostrar a relevância da comunicação comunitária em evento inédito

Bruno Caetano

Abraço Nacional

Uma grande iniciativa capaz de transformar o senso crítico das pessoas em relação a atual mídia no Brasil será realizada pela Abraço-SE (Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária de Sergipe). A entidade promoverá o Primeiro Simpósio de Radiocomunicação Comunitária, com o tema: Radio Comunicação Comunitária, um Direito Humano. O evento acontecerá no dia 10 de Março de 2012 das 08 ás 11:30 e das 14:00 às 17:00 na sede do Sindicato dos Radialistas de Sergipe, situado na Av. João Ribeiro, 973 – Bairro Santo Antônio. O objetivo é instigar a sociedade no sentido de discutir a prática e o conceito de Direito Humano à Comunicação, buscando promover o senso crítico e a formação de sujeitos ativos que através do acesso às mídias possam efetivar sua participação e intervenção social.

Surgido da idéia de discutir a mídia através de debates populares, o simpósio pretende mudar a forma como a radiodifusão comunitária vem sendo tratada pela política e as grandes mídias brasileiras. A Abraço-SE espera que a partir deste evento, as rádios comunitárias do estado ocupem espaços de discussão na mesma proporção dos meios de comunicação de massa, fazendo com que esse direito também seja um modo de inclusão.

De acordo com o Coordenador da Abraço-SE, Roberto Amorim, o que será trabalhado no simpósio será relevante tanto para os radiocomunitaristas quanto para a sociedade em geral. “Do ponto de vista técnico discutiremos a Rádio Comunitária como um espaço de convergência de mídias e do ponto de vista político evidencia para todos que comunicação além de ser um instrumento que possibilita dar voz de forma direta ao cidadão constitui-se também como instrumento de inclusão”, explicou.

Para Roberto Amorim, o tema do evento retrata a forma pela qual as relações sociais são cada vez mais intermediadas pelos meios de comunicações. “Diante de um cenário cuja concentração se faz como a principal característica do sistema brasileiro de comunicação, pensar em consolidar e praticar o conceito de Direito Humano à Comunicação comunitária é fundamental, no sentido de promover o senso crítico e a formação de sujeitos ativos que através do acesso às mídias possam efetivar sua participação e intervenção social” disse o coordenador.

Para inscrições clique aqui