Ouça nossa webradio

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Lula defende mídia regional e marco regulatório da comunicação



Escrito por: Redação
Fonte: Vermelho 

No discurso que abriu o 2º Congresso de Diários do Interior do Brasil, nesta terça-feira (13), em Brasília, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu o fortalecimento da mídia regional, criticou a cobertura jornalística de parte da grande mídia e propôs nova legislação para o setor, especialmente rádios e TVs, que funcionam sob um marco regulatório de 1962.

Lula elogiou a iniciativa da Associação dos Diários do Interior do Brasil (ADI) e iniciou sua fala destacando o importante papel da imprensa de informar a população sobre a "nova realidade" brasileira. "E isso não se faz sem uma imprensa regional fortalecida, voltada para aquela grande parcela do País que não aparece nas redes de TV", ressaltou.

A mudança dos critérios de distribuição da publicidade oficial é considerada por Lula "uma das mudanças mais importantes que fizemos nestes 11 anos" do PT à frente do governo federal. Lula informou o tamanho do salto na abrangência da distribuição de publicidade no seu governo: de 249 veículos em 2003 para 4692 em 2009.

O ex-chefe de Estado comparou a abordagem da imprensa regional e a da grande mídia em relação a vários feitos da sua gestão e da presidenta Dilma Rousseff, como o programa Mais Médicos. "Quando sua cidade recebe profissionais do Mais Médicos, vocês sabem o que isso representa para os que estavam desatendidos. Mas quando 15 mil profissionais vão atender 50 milhões de pessoas no interior do País, a imprensa nacional só fala daquela senhora que abandonou o programa por razões políticas ou daquele médico que foi falsamente acusado de errar uma receita", lamentou.

Marco regulatório

Lula também falou sobre o desafio para toda a mídia brasileira da construção de um novo marco regulatório da comunicação, conforme preconiza a Constituição de 1988. "É preciso garantir a complementariedade de emissoras privadas, públicas e estatais",

Segundo ele, o marco regulatório vai "estimular a produção independente e respeitar a diversidade regional do país. Uma regulação democrática vai incentivar os meios de comunicação de caráter comunitário e social, fortalecer a imprensa regional, ampliar o acesso à internet de banda larga", defendeu.

O evento serviu também para empossar o deputado Carlos Zarattini (PT-SP) como novo coordenador da Frente Parlamentar em Apoio e Fortalecimento da Mídia Regional. Para Carlos Zarattini, quando se fala em democratização da comunicação, trata-se de "quebrar o monopólio de seis famílias" que controlam a chamada grande imprensa.

"Em cada cidade existe um veículo regional que é tão ou mais importante do que a imprensa nacional. Por isso os governos federal, estaduais e municipais devem se envolver nesse processo de fortalecimento dos veículos da mídia regional", destacou o coordenador da
frente parlamentar.

Da Redação em Brasília