Ouça nossa webradio

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Repórter da Rádio Comunitária Zumbi ouve policial baiana sobre violência racista


Dalmo Oliveira, com seu filho Davi, ouve a capitã Denice, da PM da Bahia

O repórter Dalmo Oliveira está em Salvador, Bahia, com seus familiares em gozo de férias, mas sem descuidar das atividades jornalísticas. Ele e sua companheira, Fabiana Veloso, estão realizando uma série de entrevistas com comunicadores de radcom baianas e outras lideranças, para o programa “Alô comunidade”, da Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares.
Em evento social, Dalmo ouviu Denice, capitã da Polícia Militar da Bahia que falou, entre outras coisas, sobre a realidade da capital baiana. Os policiais são violentos? Qual o alvo preferencial da polícia nas periferias das grandes cidades brasileiras?  Seriam os jovens negros? Como a capitã, que é negra numa cidade predominantemente afro, vê esse papel da polícia como algoz de negros e pobres, ou para servir às elites e proteger as camadas médias, construindo muros em torno das “classes perigosas?”  Essas e outras perguntas estão na entrevista que vai ao ar em fevereiro.


MAIS UM NEGRO NO AR

Na edição passada do “Alô comunidade”, entrevistamos uma atleta negra que alcançou sucesso no esporte, campeã judoca. No próximo programa, ouviremos Assis Firmino, liderança negra na cultura e nos movimentos sociais da cidade de Mari, Paraíba. 
A rádio comunitária do Conjunto Ernesto Geisel, em João Pessoa, homenageia Zumbi dos Palmares, herói da resistência à escravidão. Zumbi nasceu em uma das aldeias do então Quilombo de Palmares, entre Pernambuco e Alagoas, provavelmente em 1655, e foi morto na atual Serra dos Dois Irmãos, em Viçosa (AL), em 20 de novembro de 1695. Zumbi é símbolo da penosa e brava luta dos negros contra a escravidão. Como uma espécie de rei do Quilombo de Palmares, incentivou a fuga dos escravos e enfrentou várias expedições de extermínio até retirar-se para a guerrilha. Traído, foi morto numa emboscada.