Ouça nossa webradio

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Coletivo de comunicadores consolida atuação na comunicação colaborativa na Paraíba

Dalmo (agachado à esquerda) tem colaborado com iniciativas de comunicação
comunitária, como a Rádio Porto do Campim | Foto: Olga Tavares
Nos últimos anos o Coletivo de Jornalista NOVOS RUMOS redirecionou seu foco para a comunicação comunitária paraibana, especialmente para a promoção da radiofonia comunitária. O primeiro passo politico do grupo foi se inserir na Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária (ABRAÇO-PB), quando, a partir de 2010, ativistas do coletivo, como Dalmo Oliveira, Fabiana Veloso e Mabel Dias, foram convidados a compor a coordenação da entidade.




 "Colaboramos como pudemos com a ABRAÇO, mas acabamos saindo de sua direção porque identificamos praticas anti-democráticas, a exemplo daquilo que já conhecíamos no Sindicato dos Jornalistas da Paraíba e noutras instancias semelhantes", diz Oliveira. Através da Sociedade Cultural Posse Nova Republica o grupo de jornalistas pode desenvolver varias atividades de comunicação comunitária, ingressando definitivamente no que hoje se chama de jornalismo participativo ou jornalismo colaborativo.

O principal resultado desse novo momento vai completar três anos no ar, pelas ondas da Radio Tabajara AM: o programa Alo Comunidade. "O nosso radiofônico quebra um paradigma na radiofonia paraibana ao inserir na programação de uma emissora publica convencional temáticas ate então exclusivas das emissora comunitárias e alternativas, como a democratização da comunicação, o debate sobre politicas publicas e a cultura produzida fora do esquema da indústria cultural", comenta Fabiana. Para esse projeto, o coletivo agregou outros comunicadores populares que já atuavam com as rádios comunitárias, entre eles o blogueiro e escritor Fabio Mozart, o radialista e produtor cultural Marcos Veloso e o locutor e ativista comunitário Roberto Palhano, todos eles envolvidos com atividades de comunicação e de cultura popular em Joao Pessoa e na cidade de Itabaiana.

Oficina de edição de áudio na comunidade | Foto: Fabiana Veloso


 Outra atitude importante do coletivo tem sido o apoio as iniciativas das comunidades em implantarem instrumentos de comunicação, a exemplo do trabalho feito junto a Radio Comunitária Mituaçu FM, no município do Conde, na comunidade quilombola de mesmo nome. "Nossa intenção e fortalecer o empoderamento das comunidades, dando elementos para que redimensionem a importância da comunicação social em seu cotidiano", diz Dalmo.

Nos últimos meses o coletivo foi chamado a participar de mais uma experiência coletiva em comunicação. A implantação da Radio Web Porto do Capim, na região do Centro Histórico de Joao Pessoa. O projeto e uma atividade acadêmica do mestrado profissional da jornalista Edileide Vilaça, em parceria com o Atelie Multicultural de Elioenai Gomes e com a Associação de Moradores do Porto do Capim, além de varias outras entidades e iniciativas individuais. "O projeto tem tudo para se tornar a primeira grande experiência de comunicação colaborativa da cidade. Os atores possuem capacidades distintas e consolidadas. Além da radioweb, a ideia evoluiu para uma radio-poste", informa Oliveira.