Ouça nossa webradio

quinta-feira, 26 de março de 2015

Radialista comunitário defende ditadura militar em Rondônia


O radialista Edmilson Costta (foto), ligado à Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária – Abraço, defendeu publicamente o retorno do regime militar em postagem nas redes sociais. Disse que viveu parte da infância na ditadura e, para ele, não foi ruim. “Naquele tempo tínhamos ordem, comparado a hoje que só tem anarquia”, disse Costta.

O radialista mencionou o trabalho de um batalhão do Exército na BR 364 que corta os bairros de Tucumanzal e São João Batista em Porto Velho. “Como é lindo sentir a segurança que nos dá um pelotão de soldados trabalhando em favor da comunidade”, disse ele. Na introdução do comentário, Costta enfatizou seu desejo: “Exército brasileiro assume o comando a começar por Rondônia”.

Após a postagem polêmica, o radialista teve sua página no Facebook descartada por algumas pessoas. “Estou horrorizada. Você está fazendo apologia ao militarismo. Simplesmente não posso continuar dialogando com você”, escreveu uma amiga petista do Edmilson Costta. “Esse não me representa”, afirmou Angelo Ignácio, do Rio de Janeiro. Para Arnoldo, radialista do Rio Grande do Sul, o seu colega de Rondônia quis ‘aparecer” com o posicionamento postado. “Ele viveu nos tempos da ditadura e agora não sabe o que fazer com a liberdade”, disse.

Ines Pereira considera uma “afronta ao estado democrático de direito em que vivemos”. Por outro lado, o radialista paraibano Fábio Mozart defendeu o direito do Edmilson assumir suas posições. “Ele representa uma parte da sociedade que tem esse pensamento. Embora não concorde com ele nesse ponto, acho que Edmilson Costta tem o direito de se expressar, pois a democracia vive do contraditório”, afirmou.