Ouça nossa webradio

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Advogado compara rádio comunitária a “imprensa marrom” e chama de “moleque” redator do blog da Rádio Zumbi


O advogado João Carlos Santin (foto), do Movimento Nacional de Rádios Comunitárias, classificou como “coisa de moleque” a notícia veiculada no blog da Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares sobre influência de grupos religiosos nas rádios comunitárias. Eis, na integra, a nota do advogado:

“Primeiramente, lamento muito por esta matéria ter sido elaborada.   O conteúdo dela está distorcido, e isso prova que não temos nenhuma diferença da imprensa marrom.  Além de lamentar, quero esclarecer, a fim de elucidar estas burrices e crendice sobre religião, política e família na rádios comunitárias, que é obrigação das rádios comunitárias discutir as questões religiosas, já que nosso povo é essencialmente religioso.  E mais, ao contrário de algumas rádios que dão exclusividade para esta ou aquela igreja, isso sim é macabro e repugnante, é obrigatório criar condições para que todas as crenças se manifestem. Por ora, paro por aqui, para possibilitar o debate sobre importante tema. Confesso que esta matéria causa preocupação, e cheira como represálias ao entendimento sobre vereador e suplente estabelecido pelo Ministério das Comunicações. Isso na verdade é coisa de moleque.

Imprensa marrom é uma expressão pejorativa utilizada para se referir a veículos de comunicação, principalmente jornais, mas também revistas e emissoras de rádio e TV considerados sensacionalistas, ou seja, que buscam elevadas audiências e vendagem através da divulgação exagerada de fatos e acontecimentos, sem compromisso com a autenticidadeO blog nada mais fez do que reproduzir na íntegra, como faz agora, as declarações do advogado, publicadas na internet.