Ouça nossa webradio

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Mais uma rádio comunitária incendiada na Paraíba


A rádio comunitária de Alhandra tem fortes laços políticos 

A rádio comunitária Alhandra FM, no município de Alhandra, litoral sul do estado, foi incendiada por volta da meia-noite  e dez minutos desta quinta-feira (26). Segundo informações, o incêndio destruiu o transmissor, microfones e a mesa de áudio. Um carro de som que estava ao lado da rádio também foi incendiado. A rádio pertence ao deputado Branco Mendes do PEN que denunciou o fato à polícia e promete recolocar a emissora no ar o mais rápido possível.
De acordo com o vigilante do local, “Seu Arlindo”, ele saiu por cerca de uma hora para ir até sua residência, que fica próxima à emissora, ao voltar, a rádio já estava pegando fogo e com muita gente no local. Seu Arlindo informou que a porta que dá acesso ao transmissor e estúdio da rádio foi arrombada. Um carro de som que pertencia à emissora, também foi incendiado.
A Alhandra FM existe há 15 e foi criada através de uma associação de moradores, que teve todo equipamento e o prédio onde funciona a emissora, doados pelo deputado Branco Mendes.
Através das redes sociais, o deputado se pronunciou. “Quero chamar a atenção da imprensa da Paraíba e das autoridades para este incêndio. Colocaram fogo na Rádio Alhandra FM, emissora que sou apoiador, e que cedi os equipamentos e o prédio onde funciona a rádio. Um veiculo Kombi de Som que estava na garagem, também foi incendiado”, disse Branco Mendes.
Ainda de acordo com o deputado, ele não quer acreditar que a ação possa ter sido um ato de terrorismo contra a liberdade de expressão, mas, tudo indica que sim. Por isso, vai exigir a apuração do caso.
O prejuízo, conforme o diretor de programação da emissora, Henrique Silva, é grande. “Foi um prejuízo enorme e infelizmente ficaremos fora do ar, sem atender às necessidades dos cidadãos alhandrenses”, lamentou.
A perícia será realizada na manhã desta quinta-feira e o laudo apontará se o incêndio foi criminoso ou não. 
Com portaldo Litoral PB


 Polemica Paraíba