Ouça nossa webradio

sábado, 28 de junho de 2014

RONDÔNIA

Diretor de rádio comunitária é acusado de utilizar emissora para proselitismo político
O radialista comunitário Val Gomes denunciou nas redes sociais que foi afastado de suas atividades pelo Presidente da Rádio Comunitária Transamazônica, de Porto Velho, por motivos políticos. Segundo ele, a direção da rádio obrigava-o a fazer proselitismo político. “Minha saída da rádio foi porque queriam divulgar nomes de políticos que não nos ajudam em nada e não gostam de ouvir a verdade. Já trabalhei em muitas rádios e sempre fiquei ao lado do povo, portanto não posso defender pessoas que vêm aqui prometendo torre de celular, asfalto e construção de delegacia, entre outras coisas, e nada fazem. O diretor da rádio e do hospital anda dizendo que eu não quero mais voltar, mas é mentira. Ele não me quer por medo da verdade. Afinal, a rádio é comunitária ou não?”, indagou.

Sobre o assunto, disse Edmilson Costa, da Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária em Rondônia: “A maioria dos presidentes de entidades mantenedora de Rádio Comunitária no Brasil, por falta de conhecimentos, pensam que são os donos da emissora. Pois, rádio comunitária, de acordo com a Lei 9.612/98, pertence à comunidade, tem apenas uma diretoria provisória, eleita pelos seus associados para administrar conforme seu estatuto. Tem que associar os moradores até onde seu raio atingir, caso isso não venha a ser, acionar o Ministério Público Federal.”