Ouça nossa webradio

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Rede Municipal de ensino ganha primeira Rádio Escola em João Pessoa/PB



A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio da Secretaria de Educação e Cultura (Sedec) e em parceria com a ONG Amazona, inaugurou nesta segunda-feira (17) a primeira rádio escola da rede municipal de ensino. O evento aconteceu na Escola Municipal Francisca Moura, localizada no bairro de Mandacaru. O assistente de coordenação da ONG Amazona, Cleudo Gomes, disse que 30 alunos participaram do processo de formação, no qual 15 foram formados para participar da instalação da rádio. “A gente já realizava um trabalho na Francisca Moura, que incluía o Programa Mais Educação e o Comitê pela Vida. Nada mais justo do que começar o projeto da rádio escola por aqui”, disse.

Na ocasião também houve o lançamento do jornal mural da escola, como parte do projeto “Garotada Solidária”. Segundo Gomes, a escola já tinha com a ação Comitê pela Vida a escola já desenvolvia ações educativas na área de saúde, com prevenção contra as DSTs/Aids. “O resultado das oficinas resultou no jornal”, frisou. Rádio – Por meio de um concurso, a rádio ganhou o nome “A voz da galera", e foi inaugurada com um programa feito ao vivo pelos alunos do projeto. A aluna Mayra Hadassa Ferreira, do 7º ano, achou tudo uma descoberta. “Não imaginava como era feito um programa de rádio. A oficina foi muito legal”, disse a menina, que participou de uma entrevista com a colega Raquel Lima Oliveira.

O processo formativo aconteceu por meio de módulos intercalados, nos quais, semanalmente, era discutido um tema. Foram trabalhados: o conceito de rádio escola; os diferentes tipos de rádio; as experiências de rádio escola; o uso e montagem de equipamentos; roteiro e tipos de programas; e grade de programação. Oportunidades – A diretora da escola, Zeneide Fernandes Almeida, agradeceu a ação da ONG Amazona e reconheceu a importância do trabalho para o futuro dos alunos. “Tanto a rádio como o vão contribuir no aprendizado. Eles terão mais interação e trabalharão mais a língua portuguesa. Além disso, será uma forma de desinibir”, listou.

As ações estão contempladas no Projeto Garotada Solidária, patrocinado pela Petrobrás, por meio do Programa Desenvolvimento e Cidadania e Governo Federal.

(PBAgora)