Ouça nossa webradio

terça-feira, 1 de novembro de 2011

HISTÓRIA DA RÁDIO COMUNITÁRIA SANTA RITA FM (Santa Cruz/RN)

Equipe da rádio


A Associação Rádio Comunitária Santa Rita – Um Bem da Comunidade, nasceu no front da campanha "Como Conviver com a Seca", coordenada por Mons. Expedito Sobral de Medeiros, então pároco de São Paulo do Potengi-RN. A esse sentimento em defesa dos povos sedentos do Nordeste associou-se o "Movimento Água Para Todos", formado por cidadãos e Ong´s envolvidas na "Luta Pelas Adutoras". A necessidade de se dimensionar o movimento das águas para todos os recantos levou o pedagogo e poeta popular Hugo Tavares Dutra, juntamente com o jornalista Paulo Sérgio Azevedo, e as professoras Alba Maria Belchior e Maria Davina de Lima, e outros, a fazerem um SOS às rádios comunitárias a fim de fortalecerem o movimento das águas.

A cidade de Santa Cruz/RN, por ser referência dessa luta, foi escolhida para sediar a primeira rádio comunitária do movimento das águas no Rio Grande do Norte. O desafio de se criar uma rádio "pirata", mesmo com fins altamente legítimos, não eximia os participantes dessa idéia de sofrerem os rigores da Lei. A formação da Associação Rádio Comunitária Santa Rita não foi fácil. No início poucas pessoas se dispuseram a emprestar seus nomes. Todos temiam as perseguições do ANATEL, órgão fiscalizador com poder de polícia e serviçal da classe política.

O serviço de radiodifusão da FM Santa Rita começou a funcionar precariamente, na Rua João Bezerra da Fonseca, 194, Bairro DNER, em Santa Cruz/RN, indo ao ar na primeira sexta-feira do mês de abril do ano de 1997, após às 18h. Todavia, já no domingo, por volta do meio-dia, recebemos incontinente a primeira visita do ANATEL. Ante aquela dificuldade, percebemos desde então que seria um desafio enorme a vida da nossa Associação. Por conseguinte, o futuro foi tenebroso. Muitas denúncias, polícia federal, mandato de busca e apreensão, prisão, leva equipamentos, lacra transmissor, liminares, abre rádio, fecha rádio, etc.

Quando a Lei 9.612 de 2001 foi aprovada pelo Congresso Nacional, tiramos o nosso serviço de radiodifusão do ar. Desde o ano de 1998 que a nossa associação estava inscrita, juntamente com mais outras 03 associações, que pleiteavam outorgas de funcionamento, para a mesma área da comunidade de Santa Cruz. Fizemos várias tentativas sugerindo parcerias, mas não logramos êxito e não havendo sensibilidade para a união, fomos para o julgamento.

Nesse tempo de funcionamento sem outorga, a população entendeu o porquê da nossa existência. Sentimos firmeza na demonstração de solidariedade demonstrada pelo povo e nas inúmeras instituições que se associaram à nossa causa. Fizemos um mutirão de assinaturas, declarações, moções de apoio. Finalmente, no dia 21 de maio de 2002, fomos comunicados que o Decreto Legislativo nº 1.198, de 2001, "Aprova o ato que autoriza a Associação Rádio Comunitária FM Santa Rita – Um Bem da Comunidade, 99.9 MHZ, a executar serviço de radiodifusão comunitária na cidade de Santa Cruz, Estado do Rio grande do Norte."

Hoje, há mais de uma década da nossa existência como associação, temos consciência de estarmos desempenhando corretamente o nosso papel. A nossa caminhada tem sido democrática e plural, respeitando todos e colocando a comunidade sempre em primeiro lugar. Somos artífices de vários projetos. Revelamos valores para a música, pintura, teatro, radiodifusão, jornalismo, promoção de eventos, realizamos feiras de artesanato, show´s musicais, entrevistas, debates sobre saúde, educação, sindicalismo, cidadania, promovemos o esporte amador e profissional, etc. Já publicamos livros, gravamos CD's, além de patrocinar há 11 anos o projeto "Jornada Cultural", uma iniciativa musical, esportiva, social e política, junto com a comunidade.

Promovemos o projeto "Voto não se compra – Consciência não se Vende". Desde o ano de 2004, incentivamos nas escolas, feiras e universidades a promoção do voto consciente, o que já nos levou a publicar 35.000 cartilhas em forma de cordel e a editar 1500 CD's. Já realizamos muito. E, o mais importante, foi ter nascido, crescido e lutado para a concretização do sonho das adutoras - O maior movimento de cidadania do século XX já acontecido no solo potiguar - a campanha "Como Conviver com a Seca". Essa luta fez com que muitos papa-jerimuns se redimissem da falta d´água, e, outros mais, tivessem acesso à palavra, através do serviço de radiodifusão da Associação Rádio Comunitária Santa Rita – Um Bem da Comunidade. Essa foi a primeira emissora que nasceu na "Luta Pelas Adutoras". Outras também nasceram. A nossa entidade é filiada a Abraço Potiguar – Secção da Associação Brasileira de Rádios Comunitárias no Rio Grande do Norte.

O futuro nos espera, mas a sua construção passa pelo compromisso cidadão da Associação Rádio Comunitária Santa Rita – Um Bem da Comunidade, Santa Cruz, Rio Grande do Norte.

Dailva Bezerra da Silva
Presidenta