Ouça nossa webradio

quarta-feira, 10 de junho de 2015

Radialista comunitário processa blogueiros e pede indenização por danos morais

O radialista da Rádio Comunitária Rainha, de Itabaiana, Paraíba, Adailton Macário, disse ontem (9), que está processando os blogueiros Marconi Lucena e George, responsável pelo blog “Arte Noticias”, os quais, segundo Macário, divulgaram fatos de sua vida pessoal sem conceder direito de resposta. “Fizeram o maior alarde com meu nome, de forma negativa, tentando enxovalhar minha honra, por eu não estar de acordo com os interesses particulares dos donos desses ‘bloguinhos’, afirmou.
Os blogueiros publicaram notícias sobre processo judicial envolvendo o radialista, que foi acusado de crime de pedofilia. “Nada tenho a declarar, pois quem tem que dar alguma resposta a ele é a Justiça”, disse Marconi Lucena, cujo blog “Itabaiana Hoje” é um dos mais acessados da região.
Para George, Adailton Macário é um “pseudo jornalista”. “Esse rapaz, vulgo Dadá, foi acusado de estupro de vulnerável em 2012”, escreveu ele em seu blog.
Adailton Macário atua nas rádios comunitárias Rainha, de Itabaiana,  e RCI FM, de Ibiranga, no vizinho Estado de Pernambuco, onde apresenta o programa “Hora da verdade”.
CRIMINALIZAÇÃO DE COMUNICADORES
A Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA avalia a situação da criminalização de comunicadores por injúria e a criminalização de Rádios sem autorização como desproporcionais ao estado democrático. São muitos os casos de agentes públicos que se utilizam dos crimes de calúnia e difamação contra comunicadores populares e jornalistas como instrumento penal para ferir a liberdade de opinião e de expressão.
Segundo o documento "A Relatoria Especial continua recebendo sérias denúncias sobre a abertura de processos penais contra comunicadores, jornalistas, dirigentes políticos e sociais por suas expressões de opiniões, críticas, e protesto contra qualquer tipo de poder político econômico e militar. Países que mais denunciaram esta prática foram Venezuela, Cuba, Equador, Honduras, Brasil e Guatemala.