Ouça nossa webradio

sábado, 30 de julho de 2016

Rádio comunitária promove 26 eventos e envolve cerca de 30 artistas a custo zero


Grupo de capoeira “Ao pé do baobá” no “Ocupa Geisel”, nesta sexta-feira, 29 de julho
A Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares, Sociedade Cultural Posse Nova República, prossegue neste sábado com o “Ocupa Geisel” no Centro Comunitário do Conjunto Residencial Ernesto Geisel, em João Pessoa.
Neste sábado, 30, a partir das 15 horas, haverá uma roda de diálogo sobre a proposta de mudança do nome do conjunto, que homenageia um dos generais da ditadura. “Por que Ernesto Geisel?” reunirá Marlene Almeida, da Comissão da Verdade, e Charliton Machado, da Universidade Federal da Paraíba. Às 16 horas, a Tribo Ethnos fará oficina interativa de dança urbana. Em seguida, rola outra oficina, desta vez sobre Yoga, filosofias alternativas e co-habitação comunitária com Ivaldo Gomes, da Escola Om de Yoga e Mãe Lúcia Omidewá, Yalorixá da Nação Ketu.
Às 18 horas, a cultura do estupro, machismo, sexismo e homofobia serão discutidos pelo Movimento Feminista e LGBT, a cargo de Marli Soares (mediadora) e Mabel Dias, do Coletivo de Comunicadores Novos Rumos.
A partir das 20 horas, serão apresentados pocket-shows e sarau poético, com a participação do City Nardony, após o que o videasta Jacinto Moreno lançará seu filme “O menino e o mistério”.
No domingo, o evento prossegue com feijoada a partir das 12 horas, com pagodeiros do Ernesto Geisel. Às 14 horas, haverá contação de histórias com Fernanda Ferreira, roda de diálogos, oficina de cordel e outras atividades culturais, culminando com apresentação da banda independente “Vênus In Fuzz”, liderada por Gilberto Bastos.
Dalmo Oliveira, um dos organizadores, declarou que a programação foi montada contando com amigos artistas e parceiros do movimento social da cidade de João Pessoa, sem que fosse necessário investir recursos, já que todas as entidades e grupos participantes também têm o mesmo objetivo, de facilitar à população o acesso às fontes de cultura ligadas aos artistas locais, estimulando a produção e difusão cultural e artística regional, tendo o cuidado de proteger as diferentes expressões culturais da comunidade, desenvolvendo a consciência e o respeito ao diferente e à expressão cultural que está fora da mídia tradicional e das relações de comércio da indústria cultural.