Ouça nossa webradio

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

FNDC comemora aniversário e anuncia campanha de resistência ao golpe

Os 25 anos do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC) foram comemorados com Ato Político em defesa da democracia nas comunicações e no Brasil e lançamento da Campanha Nacional de denúncia contra as violações à liberdade de expressão, reunindo, na tarde desta terça-feira (18) parlamentares, comunicadores e sindicalistas na Câmara dos Deputados. A palavra de ordem repetida pelos oradores é a mesma da campanha “Calar Jamais!”

E sob o slogan da campanha, os oradores denunciaram o golpe que interrompeu o processo de redemocratização dos meios de comunicação e do próprio país e a disposição de resistir ao golpe e de luta pelo restabelecimento da democracia no Brasil.

A coordenadora geral da entidade, Renata Mieli, lembrou que “nós somos uma geração que aprendeu a prezar pela nossa democracia e vamos lutar para que ela seja restabelecida.” Ela lamentou que o momento atual exija que a agenda propositiva desenvolvida pelo FNDC nos últimos anos, de que não é possível construir um projeto de desenvolvimento nacional sem democratizar a comunicação, seja temporariamente substituída pela agenda da deúncia e resistência ao golpe.

“O golpe nós colocou nessa máquina do tempo para colocar na ordem do dia a agenda de denúncia e resistência. Não podemos nos calar jamais, essa palavra de ordem tem relação com o movimento do Fora Temer e Temer Jamais”, discursou Mieli.

Apoio parlamentar

O deputado Jean Wyllys (Psol-RJ), presidente da FrenteCom, que trabalha em conjunto com o FNDC em defesa da democratização dos meios de comunicação, falou em nome dos parlamentares que compareceram ao evento para apresentar apoio à luta, como a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e as deputadas Luciana Santos (PCdoB-PE), Érica Kokay (PT-DF), Léo Brito (PT-AC) entre outros.

Wyllys também destacou o momento atual como de resistência ao governo golpista que ameaça todas as conquistas sociais obtidas nos últimos anos. Lembrando a música de Belchior, “Como Nossos Pais”, o parlamentar afirmou que a luta de hoje é a mesma de 1964, quando foi instalado o regime militar no Brasil. “As mesmas forças políticas que engendraram o golpe militar se reuniram e deram o golpe desta vez”, alertou o deputado.


Portal Vermelho